sábado, 19 de junho de 2010

Gasometria Arterial

Queridos alunos e visitantes... antes de mais nada gostaria de justificar a minha ausência. Esse final de semestre é sempre complicado né? Mas esse, em especial, pois estamos a pleno vapor com o trabalho de conclusão de curso dos alunos do 7º período. Aproveito a oportunidade e convido a todos para ficarem ligados com as apresentações, vem coisa muito boa por aí!!!

Bom... O nosso assunto de hoje é a interpretação de uma gasometria arterial. Para nós, fisioterapeutas, é o exame que vai nortear as condutas de fisioterapia respiratória dentro de uma unidade de terapia intensiva (UTI). O objetivo dessa postagem é padronizar a leitura e interpretação desse importante exame! Para tanto vamos dividí-los em passos.

Passo 1 - Avaliação da condição de oxigenação do paciente. Para tanto observaremos duas variáveis: PaO2 (normal - 80 a 100mmHg) e SatO2 (ideal - maior ou igual a 95%). A pressão parcial de O2 no sangue arterial (PaO2) demonstra a eficácia da hematose alvéolo-capilar. Já a saturação de oxigênio (SatO2) é o percentual de carregamento de O2 pelas hemoglobinas.

Avaliação:

Normal = PaO2 entre 80 e 100mmHg e SatO2 maior ou igual a 95%
Hipoxêmico = valores de PaO2 e SatO2 abaixo dos citados acima.


Passo 2 - Avaliação do pH. Refere-se à concentração do íon de H+ (quanto maior a concentração desse íon, menor será o pH). São considerados normais valores entre 7,35e 7,45.

Avaliação:

pH < 7,35 = acidose
pH > 7,45 = alcalose

Passo 3 - avaliação do comprometimento respiratório. Se dá pela observação da concentração de dióxido de carbono no sangue arterial (PaCO2) que tem como valores normais 35 a 45 mmHg.

Avaliação:

Se PaCO2 > 45 ou < 35 - teremos comprometimento respiratório.

Então, se...

pH < 7,35 e PaCO2 > 45 = acidose respiratória
pH > 7,45 e PaCO2 < 35 = alcalose respiratória

Passo 4 - avaliação do comprometimento renal (metabólico). Para tanto, observa-se a variável HCO3 (bicarbonato) que tem como valores normais 22 a 26 mEq/l.

Avaliação:

Se HCO3 < 22 ou > 26 - teremos comprometimento metabólico.

Então, se...

pH < 7,35 e HCO3 < 22 = acidose metabólica
pH > 7,45 e HCO3 > 26 = alcalose metabólica

Passo 5 - verificação das diferenças de bases. Usa-se o termo "base excess" que em português seria algo como excesso de bases que tem como sigla BE e valores normais variando entre -3 e +3 (em algumas literaturas encontramos - 2 e +2). O resultado expressa o excesso de bases existentes nas alcaloses metabólicas ou o déficit de bases existentes nas acidoses metabólicas.
Assim demonstrado na figura abaixo:




Em minha próxima postagem explicarei os mecanismos de compensação que podem ser observados em uma gasometria. Como sempre, coloco-me à disposição de vocês para o esclarecimento de qualquer dúvida! Um abraço a todos e muito obrigado pela visita ao blog!!!!

Prof. Otávio Plazzi
19/06/2010 - 16:31hs

3 comentários:

  1. Excelente explicação!
    Estou babando em todos os tópicos. Uma explicação melhor que a outra. Parabéns pelo trabalho

    ResponderExcluir
  2. Professor eu preciso muito falar com vc por email

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite,... segue meu e-mail: prof.otavioplazzi@gmail.com

      Excluir